quinta-feira, 9 de abril de 2009

Arthur Virgílio cobra resultados de programa habitacional anunciado em 2006


O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio, citou nesta quinta-feira (2), em Plenário, matérias publicadas na imprensa em 2006 que anunciavam o lançamento de um programa de construção de moradias pelo governo de Luiz Inácio Lula da Silva. As notícias, disse o senador, registram um conjunto de medidas destinadas à construção de 300 mil casas populares, com um investimento de R$ 18,7 milhões. Ele lembrou que o programa foi acusado de eleitoreiro por algumas pessoas, enquanto da parte do governo se dizia que a oposição estava agourando a iniciativa. O senador ressaltou que o projeto não foi adiante, tendo ficado somente na "boa intenção".

Arthur Virgílio recordou que ao anunciar agora um novo programa habitacional, que prevê a construção de um milhão de casas populares, o governo inicialmente fixou o prazo de um ano para a entrega das moradias. No entanto, ressaltou o senador, o próprio presidente Lula já teria dito que o programa será concluído depois de seu governo.

- Se levarmos para as colinas do longo prazo - disse o senador, - um dia alguém vai construir oito milhões de casas, quem sabe, em cinquenta anos ou algo assim. Quando alguém marca um prazo, é fácil para o tribunal de contas e para os agentes políticos de fiscalização, como os parlamentares, fiscalizar não só o andamento das obras, como a regularidade delas. Mas se não há um prazo definido, fica difícil o trabalho de quem tem o dever constitucional de fiscalizar.

Arthur Virgílio disse que se o governo tivesse construído as 300 mil casas populares anunciadas em 2006, neste novo pacote necessitaria construir, somente, mais 700.

- Como ele não fez as outras 300 mil, eu sugeriria que, em vez de um milhão, o governo aumentasse esse número para um milhão e 300 mil casas - disse o senador. - Dessa maneira, ele compensaria a falha passada. Ainda é tempo, é questão de fazer melhor o que tem feito em relação ao PAC.
Senado

Nenhum comentário: