quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

No Senado, a discussão é mais embaixo

Acompanhando a Sessão que discute o reajuste do salário mínimo no Senado Federal observo que as discussões não são tão diferentes dos embates da Câmara dos Deputados.

Entretanto o calor das falas e das posições contrários ao governo são mais efervescentes por um simples fato: o mandato.

Um deputado federal, por exemplo, precisa disputar uma eleição a cada quatro anos, desconsiderando aqueles que disputam eleições municipais dos anos depois. Já os Senadores, principalmente os eleitos em 2010, tem um mandato de oito anos e, por isso, a independência é maior, pois tem duas eleições sem se preocupar, teoricamente.

Então, os dissidentes são em maior escala e por isso alguns discursos fervorosos como do Pedro Taques (PDT) e do Demostenes Torres (DEM). Ambos não precisam se preocupar com a máquina do governo, tendo em vista que esse governo de Dilma, teoricamente acaba em 2014 e os mandatos desses senadores acabam em 2018.

Nenhum comentário: