domingo, 17 de julho de 2011

Pressão 18 por 12

Vitória da Conquista vem presenciando nesses meses de junho e julho uma série de protestos. Os primeiros foram realizados pelos funcionários da Prefeitura Municipal das áreas de saúde e educação. Agora nos últimos dias vemos os estudantes protestarem contra o aumento da passagem de ônibus. Em todos esses protestos o questionado é o mesmo: Guilherme Menezes.

O prefeito Guilherme, de forma malandra e esperta, se aproveitou das férias escolares para aumentar o valor das passagens de ônibus. Ele achou que, como os alunos estavam longe das escolas, não haveria reclamações. Ledo engano. Os estudantes se articularam pelas redes sociais e ao retornarem às aulas realizaram os protestos de forma ainda mais intensa. Esse é um problema fácil de resolver, basta que a prefeitura abra mão de sua participação no valor da tarifa, isso desoneraria a cobrança e os passageiros pagariam bem menos que os R$ 2,10 atuais. Aliás, a prefeitura deve tornar pública a planilha de cálculo do valor das passagens. As informações sobre contratos e valores são uma caixa-preta.

A falta de valorização do funcionalismo municipal vem sendo motivo de queixa desde a gestão de José Raimundo. Salários arrochados com reajustes irrisórios. A insatisfação dos funcionários da prefeitura é sentida na qualidade dos serviços prestados pelos órgãos: funcionários desmotivados, descomprometidos e ausentes do serviço. O ônus dessa desvalorização do funcionário municipal é pago pela população que precisa do serviço público mas não o tem com qualidade por culpa do modelo de gestão pública aplicado na cidade. Qualidade no serviço público definitivamente não está entre as prioridades do PT de Conquista.

O prefeito não se manisfestou e parece estar acuado diante de tanta pressão. Espera-se que ele venha a público prestar esclarecimentos sobre todo esse turbilhão de manisfestações que a cidade vem passando. A população precisa de uma solução imediata e eficiente para todos esses transtornos.

José Nunes Neto - Estudante de Jornalismo da Uesb.

Nenhum comentário: