domingo, 1 de abril de 2012

Acabou o semestre para o Serrano

Com pompa de time grande, o Serrano apresentou uma equipe que parecia ser forte para a disputa do Campeonato Baiano de Futebol em 2012. 

Todavia, os erros fora de campo e com alguns equívocos nas contratações ficaram visíveis antes mesmo de a competição ter sido iniciada. Por problemas internos, o então treinador Edson Leivinha comandou apenas treinos e jogos treinos. Jogadores também entraram e saíram. Logo em seguida, chega o treinador Juresco que não conseguiu imprimir sua filosofia a contento e também foi demitido. 

Como o time do empate, o Índio Mongoió, viu a zona de classificação para as semifinais distanciando do G4. Com a falta de gols, precisou o time trazer o então atacante Felipe Adão que tinha feito sucesso em 2011 pelo Vitória da Conquista, mas nem isso deu jeito. O atacante começou atuar no comando do então técnico interino e depois efetivado Nilson Paulista. Este também não durou muito e foi substituído pelo Ubirajara Veiga. 

Campeão pelo Vitória da Conquista, Bira Veiga consertou o time, deu ritmo e possibilitou um Serrano reformulado no meio da competição. Mas já era tarde para tentar vislumbrar o G4. Na verdade em nenhum momento o G4 foi uma realidade para o Serrano, era sempre um sonho. 

O real foi a luta para se afastar da zona de rebaixamento e, se tudo der certo, na próxima quarta-feira, contra o Fluminense de Feira, no Lomantão, as 20h30, mais um simples empate pode fechar o primeiro semestre do Serrano, se mantendo na elite do futebol baiano em 2013.

Nenhum comentário: